As principais usinas de geração de energia e consumidores do País estão unidos pelo Sistema Interligado Nacional (SIN), que possibilita intercâmbios de energia entre as diferentes regiões. Quem coordena esses intercâmbios é o Operador Nacional do Sistema (ONS), seguindo regras para otimização da operação. O objetivo teórico é combinar o menor custo e as melhores condições de segurança para todo o Sistema.

A rigor, o SIN funciona como uma única máquina elétrica de diferentes proprietários, cujas relações comerciais são regidas por meio de diferentes contratos regulados (transporte e energia) e livremente negociados no mercado livre (energia).

A operação do sistema não possui relação com os contratos de energia realizados entre os agentes. A operação está em um ambiente físico e a contratação em um ambiente apenas financeiro.

A garantia do fornecimento da energia para os agentes de consumo é obtida mediante o registro de seus contratos na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Exemplo:
Caso um consumidor no Sul do Brasil contrate a energia de uma usina no Nordeste, a energia efetivamente entregue terá origem em outra usina, mais próxima do local em que o consumidor se encontra. Caso tal usina, por qualquer motivo, deixe de entregar a energia, o consumidor não ficará sem eletricidade. Seu fornecimento de eletricidade é garantido por seus contratos de energia.

caminho da transmissão e entrega de energia elétrica no brasil